• Facebook Black Round
  • Pinterest Basic Black
  • Instagram Basic Black

© 2015 por Paula Maria Prado

Contato:  srfeltrim@gmail.com

(São José dos Campos - SP)

 

Tel: 012-99144-0677

Tête-a-tête com Bruno Nascimento #Entrevista (parte1)

Num dia ele nunca tinha "encostado" em uma agulha, no outro o seu ateliê somava quase 18 mil seguidores no Facebook. Claro, não foi assim tão meteórico (hahaha!), mas fato é Bruno Nascimento e seu arTÊ-lie Artesanatos movimentou os grupos de feltro: "um homem feltrando?", "certeza que é a mãe dele que faz tudo!"... Os comentários foram muitos e o preconceito veio exatamente de onde menos se esperava: das próprias artesãs. 

 

Natural de Formiga, cidade de Minas Gerais, o rapaz de 30 anos é, na verdade, sócio em uma empresa de desenvolvimento de sistemas. O feltro começou como um hobby mas, hoje, já está quase tomando o lugar de sua ocupação principal. Aqui ele conta um pouco de como tudo começou e como vai provar para cada uma das artesãs que duvidaram dele que ele domina as agulhas e as linhas, sim! E com maestria!

 

Dividi a entrevista em duas partes porque o bate-papo foi looooooongo. Bem humorado, o artesão não fugiu nem das perguntas espinhosas (e olha que eu não aliviei! Hahaha!). Confira!

 

 

 

Sr. Feltrim: Quando foi que você começou a se interessar por costura? E há quanto tempo faz isso profissionalmente?

Bruno Nascimento: O artesanato faz parte da minha vida desde que eu me entendo por gente. Minha mãe, Teresina, uma grande artesã, sempre me inspirou. No entanto, comecei na arte do feltro em dezembro de 2013. Nunca tinha pego uma agulha antes (risos)! Mas só me tornei profissional na área em junho de 2014, quando montei minha página no Facebook. 

 

Sr. Feltrim: Nos seus trabalhos percebo que ainda que tenha muita fofura, você tem uma "pegada" mais realista. Como é esse processo de criação? 

Bruno Nascimento: Gosto muito de inovar. Sempre fui 'o diferente'. As peças em feltro geralmente são muito infantis e femininas. Então, quis dar essa 'pegada' mais masculina, mais artística, visto que 99% dos artesãos que trabalham com feltro são mulheres e sempre seguem essa linha 'fofa'. 

 

Nos meus trabalhos, crio expressões, por exemplo, em cima de várias técnicas, algumas adaptadas e outras criadas por mim. Gosto de pegar o feltro e moldá-lo. Acredito que tenho facilidade em criar. Penso e executo. Se eu te contar apenas um rosto deu errado até hoje, você acredita? Foi da Anna, da animação 'Frozen'. Mas no geral faço tudo de primeira.   

 

 

Sr.Feltrim: Tive a impressão de que você teve uma ascensão meteórica entre os artesãos! Uma dia, não te conhecíamos e, no outro, todo o mundo reconhecia o seu trabalho. Foi assim mesmo?

Bruno Nascimento: Eu montei a minha página em junho de 2014 e, no início fui um pouco ovacionado acredito que pelo fato de ter trabalhos diferenciados e ser homem (risos). Mas até hoje, há pessoas que pensam que minha mãe é quem faz as peças. Mas não, gente! Sou eu mesmo! (risos). Já fui até excluído de um grupo por ser considerado 'fake'. Mas, enfim, faz parte... 

 

O diferente, às vezes, encanta. Outras vezes, incomoda. Hoje minha página está com quase 18 mil seguidores e garanto que boa parte das pessoas não sabe que é um homem que faz as peças! 

 

É um pouco estranho estar na 'boca do povo'. Mas o bacana é que esse trabalho me fez conhecer pessoas fantásticas, amigos de verdade que quero levar para fora do universo virtual. 

 

 

Costurices 

 

Sr. Feltrim: Você tem uma peça de feltro favorita? 

Bruno Nascimento: Cada criação é uma nova paixão. Gosto muita da palhacinha de All Star. Mas foi com a turma da animação 'Frozen' é que comecei a fazer expressões faciais, então são peças bem especiais.  

 

Sr. Feltrim: Você se lembra de sua primeira criação?

Bruno Nascimento: Claro! Afinal, nem foi há tanto tempo assim, né? (Risos) Comecei fazendo peças de Natal. Minha primeira peça em feltro foi um 'Papai Noel no saco'.

 

 

 

Sr.Feltrim: Mas você já consegue fazer um balanço de quando começou para aquilo que produz hoje? Há uma evolução clara já?

Bruno Nascimento: Nossa, é muito diferente! Quando comecei nesse universo de feltro não conhecia as técnicas e sempre estava estudando, pesquisando. Com isso, seguia moldes e apostilas de outros artesãos. Hoje, cerca de 95% das peças que produzo são criações exclusivas. 

 

Sr. Feltrim: Quanto tempo você leva, em média, entre o "vou fazer" e ter o produto pronto?

Bruno Nascimento: Como trabalho em escritório, só começo a feltrar a partir das 18h. Mas o meu processo criativo é muito rápido. Já penso no que quero, corto os moldes e costuro tudo. As ideias fervilham na minha cabeça. Então já imagino o boneco antes mesmo de eu cortá-lo. 

 

Sr.Feltrim: Nesse processo você segue alguma regra?

Bruno Nascimento: Não. Sempre pego encomendas e a partir daí crio as peças. Eu mesmo não tenho nada aqui em casa. 

 

Tento fazer tudo seguindo um cronograma, mas como sou 'brasileiro', deixo tudo para a última hora e não desisto nunca! (risos). 

 

 

 

Links:

Facebook

 

--

 

E aí, meninas? O que acharam da entrevista? Se preparem, a segunda parte é mais "bafônica"! Hahahahaha!

 

Bjos! ;) 

 

 

Please reload

Quem faz o Sr.Feltrim
Paula Maria Prado
Jornalista por profissão, escritora por paixão e arteira nas horas vagas...
Posts Recentes
Please reload