'Ei, menina!': por onde anda Érica Catarina? Entrevista exclusiva (parte 1)

Não há artesã nesse universo das "feltrices" que não tenha reproduzido um dos moldes dela! Chefs de cozinha, corujas, fazendinha, safári, bonequinhas... Se bobear, ela foi a precursora das apostila com moldes. 

 

Moradora de Brasília, formada em administração e casada há cinco anos com o ilustrador Romont Willy, foi por causa de uma menininha, de 11 meses, a pequena Helena, que ela deu um tempo dessa loucura que é a produção artesanal sob encomenda para se dedicar a sua função preferida: ser mãe.

 

Érica Catarina. Precisa falar mais o que? Não tem quem não pergunte: "por onde ela anda?".  De antemão aviso: ela está ótima e feliz da vida! E, sim, continua produzindo coisas fofas. Quer saber mais? Aqui ela bate um papo com a gente sobre como começou a costurar, seu ateliê e blog "Ei, menina!", e, claro, sua fase mãe ao lado da neném.  

 

Dividi a entrevista em duas partes para não ficar longa. Amanhã publico a segunda parte (segura a ansiedade! Hahaha) :D Vem, gente!

Primeira parte: Vida

 

Sr.Feltrim: Quando você aprendeu a costurar? 

Érica: Aprendi a fazer arte ainda pequena, com uns sete anos. Toda a influência e incentivo que tive veio da minha mãe, que costurava à máquina. Eu ficava apaixonada vendo todos aqueles tecidos ganharem forma. Então eu estava sempre rodeada de ideias. Comecei a costurar as roupas das minhas bonecas com pedaços de tecidos que sobrava os trabalhos da minha mãe. Na época, eu usava agulha, linha e aquela tesoura sem ponta de escola, sabe? (risos).

 

Sr. Feltrim: Mas você costura à mão ou à máquina hoje? 

Érica: Aprendi na mesma época a mexer na máquina de  costura, mas o meu artesanato é feito somente à mão. Por preferência e por saber que não é preciso uma máquina para realizar qualquer trabalho. A máquina facilita, mas acho o trabalho feito à mão mais especial, é único. Mas preciso comprar uma máquina para mim, urgente!

 

Sr.Feltrim: E em que momento se apaixonou pelo feltro? 

Érica: Antes do "bichinho" do feltro me "morder", eu fazia bordados, desenhava cartões, biscuit, caixas forradas, crochê... O feltro veio mesmo quando eu me casei, no final de 2009. Foi quando vi trabalhos na internet e resolvi arriscar a fazer guirlandas de Natal.

 

Sr.Feltrim: Qual foi a sua primeira peça?  

Érica: Tudo que eu fiz até hoje está no meu blog.  A primeira peça que eu fiz em feltro foi uma guirlanda natalina.

 

 Foto: Érica Catarina/reprodução do blog

 

 

Sr.Feltrim: Mas o artesanato para você é um hobby ou uma profissão? 

Érica: O artesanato é uma profissão! Não larguei tudo para ser artesã, mas as coisas foram acontecendo. Eu trabalhava fora. Estudei, me formei, fiz pós-graduação... Mas acredito que nada foi perdido. Tudo se aplicou na forma como administro o meu cotidiano, a minha vida.

 

Depois que vi que podia fazer trabalhos manuais e agradar outras pessoas, e melhor, vendê-los, fui traçando novos objetivos e metas. Tinha uma vontade enorme de fazer algo que eu gostasse e aliar à minha vida profissional. As guirlandas de Natal e de porta-maternidade foram o pontapé inicial da minha história nesse mundo tão prazeroso e encantador do feltro.

 

Sr Feltrim: Você tem uma peça preferida?

Érica: Todas as peças que fiz são preferidas. Todas se inserem na minha vida de maneira especial. Afinal, mesmo que eu faça mil vezes a mesma peça, sempre terá um toque diferente, um sentimento, uma ocasião e é feito para uma pessoa diferente. Então, todas são especiais.

 

Foto: Érica Catarina/reprodução do blog

 

 

Segunda parte: Artesanato e blog

 

Sr. Feltrim: Por que "Ei, menina!"? De onde surgiu esse nome? 

Érica: Quando eu era criança, aproveitava que minha mãe estava fora, pegava os materiais dela e sentava em frente à máquina de costura. Daí, já viu... Quebrava agulha, embolava as linhas, cortava e costurava tecidos. Quando ela chegava, já vinha logo falando: "Ei, menina! De novo mexendo com as minhas coisas! Já chega! Para de bagunçar o meu material que eu vou precisar dele. Pode organizar tudo!" (risos) Mas ela me chamava atenção com tanto carinho que as palavras que ficaram marcadas e guardadas em mim foram "organização" e "Ei, menina"! Elas agora fazem parte da minha vida para sempre e da minha marca.

 

Sr.Feltrim: Em que momento você achou que era a hora de criar um blog? 

Érica: Na verdade, eu não criei o blog para colocar os meus trabalhos em feltro. A princípio era para ser um endereço virtual de tudo quanto é assunto, mas ele foi engolido pelo artesanato, e eu, claro, amei! (risos) O feltro é minha paixão declarada!

 

Sr.Feltrim: Muitas das técnicas que você desenvolveu para trabalhar com feltro são seguidas pelas artesãs até hoje. Você aprendeu tudo por erros e acertos? 
Érica: Sim! Tudo foi feito por meio de muitas tentativas até chegar num resultado satisfatório. E tive sim muitos erros, viu! (risos)
 

Sr.Feltrim: Como é, alias, o seu processo de criação entre imaginar uma peça, tirar o molde e depois fazê-la e vê-la pronta?

Érica: Sempre digo que meu nome é Érica e meu sobrenome é ansiedade! (risos) Mas essa é a parte mais detalhada de qualquer processo em minha vida: criar qualquer coisa. Tanto que sou viciada em agendas, blocos de anotações. Eu anoto/desenho tudo. Organização, aliás, é tudo! 

 

Pego meu caderno de ideias e vou rascunhando o próximo trabalho, trabalhando o desenho. Faço um croqui, pinto e depois vou desenvolver os moldes em cima do que eu acabei de criar. Criados os moldes, risco no feltro e costuro. Já aconteceu de o desenho ficar bacana, mas no feltro não causar nenhuma emoção. Daí começo a fazer as possíveis mudanças e o molde original toma outro rumo.

 

Foto: Érica Catarina/reprodução do blog

 

 

Sr.Feltrim: Você deu uma "sumida" do mundo virtual. No seu blog, você colocou o recado de que se afastaria por um tempo para curtir a maternidade. Tem muita artesã, aliás, que vive esse dilema, né. Foi difícil tomar essa decisão?  

Érica: Eu dei uma sumida e foi realmente proposital. O blog atingiu um patamar de visitas diárias impressionantes, com muitos e-mails por dia para responder, e com a neném em casa e alguns empecilhos domésticos, o tempo para acompanhar as constantes novidades e atender a todos os artesãos foi ficando escasso. 

 

Então, muitas mudanças aconteceram. O meu foco mudou. Continuo fazendo artes, mas não estou publicando, pois até para tirar fotos dos trabalhos leva muito tempo... A Helena é agora a minha maior prioridade.
 

 

Sr.Feltrim: E o quanto a Helena te mudou como artesã. Você passou a se interessar mais por bonecas de pano, livrinhos... Como tem sido esse seu "novo" universo?

Érica: A Helena só veio acrescentar! É uma matemática maravilhosa: muito amor para multiplicar. Adoro brincar com ela, com todos os tipos de brinquedos seja de pano, feltro ou não.  Sempre arrumo um jeitinho e um tempinho para fazer alguma coisa no feltro ou no tecido para brincar com ela. 

 

Foto: Érica Catarina/reprodução do blog 

 

 

É isso... No trecho de amanhã, Érica fala sobre plágio, apostilas, "vaquinhas" e de quebra nos conta alguns de seus segredinhos de costura. Não perca!

 

---

 

 

Para ficar de olho nos trabalhos de Érica Catarina, não deixe de passar pelo seu blog. Tem apostilas gratuitas e muitos trabalhos que podem servir de inspiração.  

 

Blog: http://ericacatarina.blogspot.com.br

Flickr

---

 

Para ver outras entrevistas que rolaram por aqui:

 

Hello Felt

Bruno Nascimento (parte 1) e (parte 2)

Noialand

 

--

 

Gostaram? Não se esqueça de comentar no Facebook.

Super beijo! 

Até mais! ;)

Please reload

Quem faz o Sr.Feltrim
Paula Maria Prado
Jornalista por profissão, escritora por paixão e arteira nas horas vagas...
Posts Destacados

Broche 'Buquê de flores' #Molde

January 30, 2015

1/1
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Procure por Tags
Please reload